Home » Raios-X

Idade Óssea por Rodrigo Pigozzi

6 fevereiro 2012 18.598 visualizações 2 Comentários

Análise de maturação óssea por meio da radiografia do punho e mão

Alguns autores duvidam do valor comprobatório da análise de ambos os punhos e mãos para determinar o índice de crescimento de qualquer outra parte do corpo, partindo do principio da existência de assimetria no desenvolvimento ósseo desta região. Afirma-se que o lado esquerdo possui uma maior velocidade de maturação, devido, a esse fator muitos autores utilizam somente radiografias da mão e punho esquerdo. Em contrapartida a essa idéia, alguns autores explicam que a assimetria encontrada é tão ínfima que não convém ser lavada em consideração.
A grande quantidade de centros de ossificações aglomerados em uma única região (30 centros de ossificações), a baixa dose de radiação aplicada, e a facilidade no posicionamento, fazem das radiografias de mão e punho as mais usadas para avaliação da idade óssea.

A técnica de avaliação através do punho e da mão não é aplicada aos recém-nascidos, dado que o primeiro núcleo carpal é visualizado a partir do 3° mês. SÉNÉCAL ET AL desenvolveu um trabalho de análise no período neonatal utilizando o núcleo distal do fêmur, proximal da tíbia, cubóide, calcâneo e tálus.

No método de Eklof & Ringertz a avaliação é feita através de uma mensuração do comprimento e largura dos centros de ossificações, abarcando idade de 1 a 15 anos.
No método de Greulich & Pyle é realizada uma inspeção visual, partindo do principio de comparação entre a imagem radiográfica e imagens padrões do atlas do desenvolvimento ósseo.
O método Grave – Brown ganha destaque entre os métodos utilizados para determinar a maturação óssea, sendo tomado como padrão de ouro por alguns autores, este método analisa 14 centros de ossificações observando-os antes, durante e depois do pico de velocidade do crescimento puberal. Cada mudança corresponde a um determinado estágio que determina o grau de maturidade óssea.
Estágio 1(A) – falange proximal do 2° dedo – a  epífise apresenta a mesma largura que a diáfise;
Estágio 2 (B) – falange média do 3° dedo – a epífise apresenta a mesma largura que a diáfise;
Estágio 3 (C) – gancho do hamato – estágio 1;
Estágio 4 (D) – surgimento  do pisiforme;
Estágio 5 (E) – rádio – epífise apresenta a mesma largura que a diáfise.
Os estágios acima citados ocorrem antes do pico de velocidade de crescimento puberal.

Estágio 6 (A) – aparecimento do sesamóide ulnar na articulação metacarpofalangeana;
Estágio 7 (B) – gancho do hamato – estágio 2;
Estágio 8 (C) – falange média do 3° dedo – capeamento epifisário;
Estágio 9 (D) – falange proximal do 1° dedo – capeamento epifisário;
Estágio 10 (E) – rádio – capeamento epifisário.
Os estágios acima citados ocorrem durante o pico de velocidade de crescimento puberal.

                                                                                                                                                     Fig. 3 – Fases que ocorrem durante o pico de velocidade do crescimento puberal.

Estágio 11 (A) – falange distal do 3° dedo – completada a união epifisária;
Estágio 12 (B) – falange proximal do 3° dedo – completada a união epifisária;
Estágio 13 (C) – falange média do 3° dedo – completada a união epifisária;
Estágio 14 (D) – rádio – completada a união epifisária.
Os estágios acima citados ocorrem após o pico de velocidade de crescimento puberal.

Maturação óssea avaliada pelas vértebras cervicais

Embora a radiografia de mão e punho tenha sido um padrão áureo na análise do desenvolvimento ósseo, outros métodos vêm sendo explorados com a mesma finalidade, uma das estruturas ósseas que antigamente era ignorada e que vem sendo estudada no intuito de estimar a maturação óssea, são as vértebras cervicais.
Esse é um método alternativo, classificado como um método confiável e muito utilizado na ortodontia e ortopedia facial, pois, consequentemente reduz a dose de radiação no paciente, já que a radiografia cefalométrica lateral é rotina nesse ramo.
Segundo Lamparski a maturação óssea das vértebras cervicais é compatível com a idade óssea avaliada pela radiografia carpal. O autor desenvolveu seis estágios de maturação óssea para as vértebras cervicais, tendo como parâmetros as alterações estruturais das vértebras:
No 1° estágio, classificado como iniciação, é possível visualizar um afunilamento ântero-posterior das bordas superiores de C3 e C4; as bordas inferiores de C2, C3 e C4 estão planas; a expectativa de crescimento puberal é de 80 a 100%;
O 2°estágio é denominado de aceleração, onde se dá o início do desenvolvimento de concavidade nas bordas inferiores de C2 e C3; borda inferior de C4 plana; C3 e C4 com formatos tendendo a retangulares; a expectativa de crescimento puberal é de 65 a 85%;
O 3°estágio é o estágio de transição, onde se tornam presentes as concavidades distintas nas bordas inferiores de C2 e C3; início de desenvolvimento de concavidade na borda inferior de C4; C3 e C4 apresentam formatos retangulares; a expectativa de crescimento puberal é de 25 a 65%;
O 4°estágio corresponde à desaceleração, agora há presença de concavidades distintas nas bordas inferiores de C2, C3 e C4; formato de C3 e C4 aproxima-se de um quadrado; a expectativa de crescimento puberal é de 10 a 25%;
No 5° estágio ocorre o processo de maturação, onde as bordas inferiores de C2, C3 e C4 se apresentam com concavidades acentuadas; formato quadrado de C3 e C4; a expectativa de crescimento puberal é de 5 a 10%;
O 6° e último estágio é o estágio de finalização, nesta fase C2 e C4 possuem concavidades profundas na região inferior; altura de C3 e C4 ultrapassa sua largura, crescimento puberal completo.

Método de Seedat e Forsberg

Neste método a análise é realizada apenas na vértebra C3, devido à facilidade de visualização da mesma. O crescimento puberal ativo é indicado pelo formato de “S” no bordo superior da vértebra que se desenvolve nos estágios de iniciação e aceleração (fig. 5). O formato de lábio no bordo inferior se desenvolve no estágio de transição e aceleração (fig. 6), a forma de lábio é correlacionada com o aparecimento do osso sesamóide no adutor do polegar. O arredondamento dos cantos inferiores de C3 indica que o crescimento que está ocorrendo é pouco ou nenhum (fig. 7).

Referências Bibliográficas
EDUARDO MARCONDES, Idade óssea em Pediatria. http://www.pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/648.pdf
LUCI MARA FACHARDO JAQUEIRA, Estudo Radiográfico comparativo da maturidade óssea das vértebras cervicais utilizando ter métodos inspecionais, UNINCOR.

http://www.unincor.br/pos/Cursos/MestreOdonto/arquivos/dissertacoes/Disserta%C3%A7%C3%A3o_Luci.pdf

MARCIA REGINA MARTINS FERREIRA MARQUES, Estudo comparativo da idade óssea em Radiografias carpais e maturação das vértebras cervicais em Telerradiografias em norma lateral.

http://www.unimar.br/pos/trabalhos/arquivos/1b165a3683b0cb80c3158da21a994cc8.pdf

Marcia Spinelli Casanova, Ana Isabel Ortega, Francisco Haiter-Neto, Solange Maria de Almeida, Analise comparativa da maturação óssea determinada pelo método de Grave-Brown entre imagens convencionais e digitalizadas; SCIELO.

http://www.scielo.br/pdf/dpress/v11n5/a11v11n5.pdf

Amanda Maria Medeiros de Araujo; André Ânderson Pereira Germano; Adriana DiasBatista Rosa; Maria Luiza dos Anjos Pontual; Lúcio Flávio da Cunha Félix .Centro de Ciências da Saúde/Departamento de Clínica e Odontologia Social/MONITORIA; Uso de Radiografias carpais na determinalçao da idade óssea – importância e aplicabilidade.

http://www.prac.ufpb.br/anais/IXEnex/iniciacao/documentos/anais/6.SAUDE/6CCSDCOSMT28.pdf



2 Comentários »

  • giovana disse:

    meu filho completou 18 anos sua idade ossea deu 19 anos e ele precisa crescer pelo menos 04cm para poder ingressar na afa ele ja faz epcar ele tem 1,60 e possivel me ajude por favor.

  • elisangela disse:

    oi meu filho tem 2 anos 1 mês e tem idades óssea de 6 meses a 9 meses me ajuda não sei o que faço…

Deixe um comentário!

Coloque o seu comentário abaixo, ou link de volta a partir do seu site. Pode também subscrever estes comentários via RSS.

Seja cordial. Respeite o assunto do tópico. Não faça spam.

Pode usar estas tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este blog usa Gravatares. Para obter o seu próprio avatar-globalmente-reconhecido, por favor registe-se em Gravatar.